sexta-feira, 31 de agosto de 2018

31 AGOSTO 18 SEXTA

fICANDO SEM INTERNET POR UNS DIAS.
tROCANDO.
nÃO CONSIGO TRABALHAR HÁ DIAS.
VOLTO PELO CELULAR OU COMO CONSEGUIR, AMIGOS.
BJO

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

27  Agosto  2018   Segunda  

Amigos, 

foi meio complicado o tempo, e a vida, nos últimos dias mas, agora consegui passar aqui e dar notícias.

Tive muitos eventos gratificantes e quero mostra-los todos a vocês e assim farei. Só não consigo agora porque estou sem acesso ao facebook e preciso dele.
Mas, fiz várias exposições do ME, palestras, entrevistas e outras participações nesse tempo, além do programa do rádio e muuuitos exames e consultas...um agito só!
Foi bom, não gosto de ficar no marasmo de só tratamentos e repouso.

Assim, em breve postarei as fotos aqui do expo ME em Formiga, MG; da expo ME e apresentação poética na I Feira de Talentos do Prado e Calafate, palestra na IUS LIVRE - de cuidado ambiental; e maravilhosos encontros....

Um beijo e grata por sua leitura!
tânia

Um continho antigo :

Borralheira

Borralheira apaixonada em princesa se desdobra. Mas, no meio da noite,
  desiludida, virou abóbora. (Seu corpo, um fiapo, naquela língua de trapo).

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

13   agosto 2018  Segunda


Queridos,

lembrando que amanhã, dia 14 de agosto, às 14 hs 
estarei mais uma vez, com muita alegria, na 
Rádio Inconfidência AM 880 

                             para a coluna de poesia no programa Revista da Tarde, com Débora Rajão.

                                       Falarei do ME no. 81, ano 20 e da querida poeta Olga Savary.

                                                                       Ouçam, todos!!!

*  *  *  
E hoje, a lembrança da amiga e premiada escritora 
Bárbara Lia, de Curitiba, Paraná. 
Eu, a editora pela Mulheres Emergentes Edições Alternativas - Tânia Diniz:


 livro  A última chuva
9 de maio de 2007 com Tania Diniz em Belo Horizonte
Parte do projeto - ME 18
Pelos 18 anos do Editorial de Poesia - Mulheres Emergentes - da poeta de Minas Gerais - Tânia Diniz

Poesia / 40 páginas



Um dos lindos poemas desse livro: 


Desdêmona

olhou-me como nuvem,
a sugar os vapores
da minha alma.
Por que ele é meu deus,
guardei-o em um lago 
onde iago 
jamais chegará.
                                            (página 12)

 


                                        Leitura na casa da jornalista Cristina Livramento em Sampa                                                                 - a garota da foto se chama Cecília .

A imagem pode conter: 2 pessoas

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Alegria do dia!

08   Agosto  2018  Quarta 

Amigos,

a grande alegria do dia 01 de agosto:
minha entrevista no blog Toca a falar disso, de Lisboa, Portugal. Visitem!

Gratidão aos editores.

https://tocaafalardisso.blogspot.com/2018/08/dez-perguntas-tania-diniz.html

Reproduzo:






VAMOS FALAR DE TUDO O QUE ESTÁ RELACIONADO COM LITERATURA

quarta-feira, 1 de agosto de 2018


DEZ PERGUNTAS A... TÂNIA DINIZ



Agradecemos à autora TÂNIA DINIZ a disponibilidade em responder ao nosso questionário

1 - Como se define enquanto autora e pessoa?

Sou uma sonhadora, em todos os níveis! Acredito no maravilhoso, no surreal, e tento passar isso nos meus textos, pra encantar as pessoas. E me cerco de possibilidades de viver assim, encantada, alegre, fazendo poesia e com tudo que ela me traz de trocas, amigos, beleza. Em tratamento de saúde há 20 anos, combato o câncer com essa alegria, em especial.

2 - O que a inspira?

Tudo. Um sonho, uma palavra, uma emoção, a natureza - adoro e pratico haicais - desejos, realizados ou não, enfim... de onde vislumbrar o Belo, pode vir um poema.

3 - Existem tabus na sua escrita? Porquê?

Não. A única coisa que evito, especialmente no meu jornal poético Mulheres Emergentes, são palavras mais pesadas, mais rudes, que aos meus ouvidos quebram a beleza, embora, reconheço, às vezes estão muito bem colocadas em textos ótimos.

4 - Que importância dá às antologias e colectâneas?

Creio que são fundamentais como veículo de divulgação. De entrosamento entre autores. Oportunidade para muitos escritores que, às vezes, não têm outros meios, ou são iniciantes, buscando caminhos. Um delicioso encontro de estilos para o leitor.

5 - Que impacto têm as redes sociais no seu percurso?

A velocidade e alcance das notícias trazem encontros e grande força na divulgação. Um instrumento fundamental, na atualidade. Sem as redes sociais, em meu longo momento de fortes tratamentos de saúde, provavelmente estaria no esquecimento, ou à beira disso. E sou jurássica em tecnologias! Devo minha participação nas redes (e demorou!!!) ao incentivo e apoio de minha filha AnaCarol, que há tempos nomeei co-editora do ME pela decisiva e permanente colaboração.

6 - Quais os pontos positivos e negativos do universo da escrita?

Acho super positivo dar vida a belas mensagens da alma, o encontro dos pares, as realizações, as interações, troca de experiências, incentivos, projetos em conjunto, enfim, convivência. De negativo, na verdade vejo pouco, algumas sabotagens de quem não compreende que há espaço para todos. Já sofri algumas.

7 - O que acredita ser essencial na divulgação de um autor?

Permanência no noticiário, bom trabalho a ser mostrado, participação em eventos, criatividade, gratidão.

8 - Quais os projectos para o futuro?

Muitos livros, ainda na gaveta; quem sabe - mais uns 30 anos de ME, rsrsrs; uma festa de celebração pelos 30 anos; participação e criação de eventos; viagens, tanta coisa!!! Mas, tranquilidade e saúde, acima de tudo.

9 - Sugira um autor e um livro!

São tantos! Acho difícil escolher apenas um mas, como adoro o fantástico, sugiro Garcia Marquez e Isabel Allende. Na poesia, não consigo escolher, amo tantos!

10 – Qual a pergunta que gostaria que lhe fizessem? E como responderia?

Nenhuma em especial, todas que quiserem. As respostas serão sinceras sempre.

Acompanhem, curtam e divulguem esta e outros autores através deste link

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

03    Julho  2018   Sexta   


Meus sempre queridos amigos,

ainda sem Facebook e Messenger, passo aqui rapidinho pra dizer que, hoje tem um sol desmaiado mas, minha alma está nublada de dor.

Nossa amada cadelinha Mafalda fez sua passagem ontem à noite, em meus braços.




Ia fazer 13 anos em setembro e começou a ficar fraquinha há um mês... idade, segundo o veterinário.

Era uma lady e estará em nossos corações para sempre!

Gratidão por viver conosco, vá feliz, Mafalda, um dia nos veremos de novo...até lá, querida!

Diferentes amores, dores diferentes
sempre fortes, sempre eternas...
td

Pra sair do clima, umas lembranças da carequice maior...

            a amiga Teresa e eu, experimentando turbantes na minha cabeça, rsrs

         e a cabeça totalmente à vontade, rsrsrs, eu, Úrsula e Alice ao fundo...