quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

na roça


na tosca janela
morangas, tangerinas,
flores de são-joão ...
nas entrecores do dourado
um buquê de sol.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Miragem

Entre monges budistas
recebe os pássaros
fala com as formigas,
humilde são Francisco.
_ Entre os menores,
um comprido cupim no pasto!

domingo, 27 de janeiro de 2008

Borralheira

Borralheira apaixonada em princesa se desdobra.
Mas, no meio da noite, desiludida, virou abóbora.
(Seu corpo, um fiapo, naquela língua de trapo).

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Publicidade

Gordas figuras
Vaporosas sílfides
Se tornavam
No outdoor
Em destaque maior
De ginástica
Elefantástica
Em celulóide
Ou no tablóide.
Mentireóides!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Hoje compartilho uma beleza de Selma Weissmann

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

fogo-pagô fogo-pagô
rolinha rolando a tarde
noite chegou

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Re-encontro

Vício antigo
superado
de repente
se faz presente
acordado!

(O meigo menino
escondido
em teu olhar.)

A melodia da voz
trouxe em flauta
para nova pauta
o velho nós.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Na arena dos lençóis
meu coração, touro guerreiro!
teu amor, banderillero.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Descuidados,
amor e mágoa, se desfazem
como água.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Tecelã

A franja da noite
em receios e ânsias, teço!
E a trama se faz, tenaz,
de silêncios e ais.
Flashes de luz e de escuro,
correm na língua,
na linfa,
alimentam lagarta e ninfa,
o casulo.
No êxtase final, sob trombetas
irrompe a nuvem
de borboletas!

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Te amar,
minha fissura. Te ganhar,
meu jogo de cintura!


Aproveitem o final de semana!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

PARTICIPE !!

Gente, hoje estou aqui só pra lembrar que poemas, ecreitores, artistas novos ou já consagrados podem e devem participar deste blog. Minha intenção é divulgar a Tânia Diniz, mas também todos aqueles que promovem um mundo mais bonito. Conto com sua colaboração (anacaroldiniz@gmail.com)

Um abraço,
Ana Carol

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Alamanda florida.
Pequenos sóis iluminam
o verde do jardim.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Descobri um dia:
felicidade demais também
traz monotonia !

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Alfabeto


Aproveitando o clima de ano novo, vou apresentar a cada semana, uma letra de um calendário bem interessante. Criado por Lúcia Daniel, artista plástica e amiga, radicada em Paris.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Acidente

Ele batalhara por ela por mais de um mês e, finalmente, estavam ali.
Fascinara-o. Casada há muito, mas não tinha experiência de motéis e transas extras; daí, medos e indecisões até a coragem de sair com ele. ( O marido em curta viagem. ).
Ao transpor aqueles portões, sentiu feras soltas dentro de si. E vampira e tigresa, já o agarrava mesmo enquanto subiam as escadas.
Cama redonda, mil espelhos, cheiro gostoso, tudo à mão. Penumbra e música romântica.
Entre o uísque e o beijo, arrancou-lhe as roupas, propondo-lhe loucuras que a faziam tremer. O clima de sensualidade era tão denso que poderia ser cortado em fatias.
Caíram na cama, rolaram em mil posições; ele extasiado e surpreso com a reação dela.
Satisfaziam-se com todos os toques e ditos, espirituosos e sensuais.
Ele penetrou-a tantas vezes, em vários ângulos; ela arranhava-o com as unhas vermelhas.
Fizeram pequenas pausas apenas para prolongar o prazer. E quando este explodia, eram maremotos intensos. Morriam agoniados para logo ressuscitarem, insaciáveis.
Ela nunca pensou existir um homem tão macho - no bom sentido !
E a noite voou, foi curta para eles. Mas, precisavam ir, ele tinha que trabalhar.
Ao sair da ducha, ela caiu na risada, ao ver que ele vestira sua minúscula calcinha rosa shocking transparente, por baixo da sunga.
Entre beijos melados e olhares sedutores, pediu-lhe para deixá-lo ir assim. Ela ficaria de vento a favor, o que era ainda mais excitante, e ele, com o perfume dela em seu sexo, para lembrarem-se um do outro até o próximo encontro. E deixaram o apartamento sérios e bem comportados. Estavam no carro dela ( tivera medo de largá-lo em qualquer lugar.). Deixou-o perto do trabalho. Beijaram-se com tesão e ele se foi.
Assistindo ao telejornal meio distraída e aguardando seu telefonema, quase morreu ao ver notícia : conhecido jornalista, fora brutalmente atropelado naquela manhã, quase em frente à sede de seu jornal.
No CTI - surpresa de médicos e enfermeiras ! - a descoberta da peça íntima feminina que trajava, foi considerada atestado inegável de identidade homossexual.
E o escândalo abalou toda a sociedade. Ninguém entendia - a família inconsolável.
E todos que sempre o invejaram, diziam maldosamente agora que, todas as belas mulheres com quem era visto, foram apenas cobertura para o fato.
Ela, embora arrasada, pela sua condição de casada, nada pôde fazer por ele.
De D.Juan que fora, foi enterrado como gay.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Diagnóstico


Não conseguia olhar abaixo de seu queixo. Mantinha-o sempre levantado. E tal problema causava-lhe outros, pois não podia relacionar-se com qualquer um, apenas com os mais altos que ele.

E tanto ouviu falar de si que cedeu às censuras e submeteu-se a exames e radiografias. No resultado, não deu outra: tinha um rei na barriga.