segunda-feira, 28 de abril de 2008

GRAÇA GRAÚNA

LEGADO

a grande lua de fogo
revelou a sua face agrestia
e, devagarosamente,
foi indo, foi indo
gravitando
na incandescência.

Com a lua cheia
um véu de estrelas espantou a neblina.

Na agrestidade do ser
cavamos os sonhos
contra a desesperança
que circunda nossas vidas.

Um comentário:

Cássio Amaral disse...

Cá venho cafungar Graça Grauna, lua insana mãe da noite aliterações que a alma urra, ventos de pleonasmos que canto e solo feito Jimi Hendrix no olho do tufão, maremotos e também brisa leve em haikais que a espada da caneta sintetiza.

Beijabraços a todas. Muita luz.

Cássio Amaral.