quinta-feira, 22 de maio de 2008

DÓRIS ARAÚJO

POEMA DAS TRÊS MULHERES

Tão diferentes e, ao mesmo tempo,
Tão semelhantes, essas três mulheres. . .
A primeira é irmã da segunda
Que é mãe da terceira
Que é sobrinha da primeira.
A tia, morena, de olhar profundo.
A mãe, corada e inquieta.
A sobrinha, porte de rainha,
Voz de sereia.
Aquelas, muito miúdas,
Contrastam com a derradeira.
Dividem o mesmo quarto,
Sonham os mesmos sonhos
De diferentes maneiras. . .
Contemplam as mesmas estrelas.
Mulheres de fibra, mulheres de Fé.
Protegem-se umas às outras.
Inseparáveis como irmãs siamesas.

2 comentários:

Sebastião Abiceu disse...

O poema das Três Mulheres, vai muito além da poesia. É uma verdadeira canção de ninar para as mulheres mais cumplices do planeta: Mariana, Patricia e Dinha. Só quem as conhece,sabe.

Cida disse...

Dóris,
Minha querida, gostaria de agradecê-la de coração pela homenagem que você faz à minha mãe, minha tia e a mim.Lindo poema...
Somente esta sua pureza de alma é que poderia descrever tão humanamente e humildemente nós três.É uma grande honra para nós.
Parabéns!!!
Aplausos para você e muito sucesso.
Carinhosamente,
Dinha.