sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Cibernética

Desde pequena era apaixonada por tecnologia.
Sua diversão era descobrir o segredo das máquinas.
Na adolescência vivia trancada em casa, quase sempre conectada à rede. Fez amigos, conheceu lugares, experimentou perfumes e pessoas. Seu único problema: tudo virtualmente.
Sentia falta do contato físico, do cheiro de pele e, numa pesquisa incansável e minuciosa na internet, foi montado parte a parte, um namorado.
Olhos azuis alemães, corpo sarado dos russos, calor dos espanhóis, espírito aventureiro dos holandeses e assim foi, até ter seu exemplar ideal.
Ficou dias pensando em como ter aquele par perfeito fisicamente ao seu lado. E como num insight, claro, baseado em seu profundo conhecimento em tecnologia, encomendou, em loja virtual, o melhor equipamento disponível no mercado.
Após 3 dias de ansiosa espera, recebeu um grande pacote. Rapidamente, montou a máquina e ficou maravilhada com a sua proeza.
Em apenas cinco minutos, imprimiu em cores perfeitas e 1440 dpis, seu príncipe encantado e beijou-o longamente.

Esse é um texto meu, que compartilho com vocês no espaço de Tânia Diniz. Espero que gostem.
Ana Carol

Um comentário:

Tânia Diniz disse...

oh, meu amor, o espaço é nosso e de nossos amigos.Fique 'a vontade, publique sempre que quiser.Inda mais um continho desses!!! sensacional!!!
bjo da mamãe coruja,
tânia