quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

GENTE AMIGA,


Recebam meus melhores votos de
BOAS FESTAS     E     FELICÍSSIMO ANO NOVO!

Agradeço , mais uma vez, a tolerância, paciência e boa vontade para comigo, de todos a quem ainda devo alguma remessa de correspondência ou algo mais.
Prometo me esforçar ainda mais para cumprir logo os meus restantes compromissos.

Tive um ano mais complicado, em termos de tempo e cuidados com a saúde, situação em que ainda me encontro.

Passei agora por aqui, para não deixar de desejar a todos este Feliz Natal e volto logo que conseguir.
E postarei também os trabalhos vencedores do Concurso de Lendas e Poesia ME.

Um beijo e carinho a todos os meus amigos, leitores, colaboradores,  divulgadores, de perto ou de longe.
Chau,
tânia

domingo, 12 de dezembro de 2010

RESULTADO DO CONCURSO DE LENDAS E POESIA MULHERES EMERGENTES!

Queridos,

PRECISO EXPLICAR E AGRADECER A COMPREENSÃO DE VOCÊS, NESTES MEUS TEMPOS ASSIM, MEIO SEM ALTERNATIVAS.
Meus compromissos se atrasaram um pouco e, tentei sempre, mas ainda estou atualizando coisas, desejo conseguir zerar tudo antes do final do ano.

Mas, trago agora, com muita alegria, o resultado do Concurso mais original que promovi até hoje, e que ocupa um lugarzinho especial no meu coração, o qual todos vocês, participantes, apoiadores e divulgadores, me ajudaram a realizar com êxito.
MEUS PARABÉNS AOS VENCEDORES!!!!!!

Preciso dizer que fui a única Organizadora - inclusive, um dos motivos de algum atraso, por fazer sozinha e ter tido pouco tempo, além de problemas de saúde e de computador - , quem  preparou tudo, desde idealizar até convidar o Júri e , finalmente, após todo o processo, abrir as identificações dos participantes e vir comunicar-lhes.

Como em todos os meus concursos realizados anteriormente ( o primeiro em 1992/3) os jurados recebem os trabalhos a serem julgados, sem nenhuma identificação, além dos pseudônimos que os assinam e um número dado por mim durante a preparação.

E dessa vez aconteceu uma coisa inusitada:

Sem que eu soubesse,( só para me fazer uma surpresa )- saibam que apenas agora vim fechar o resultado, somei e comparei notas, e abri as identificações - vi que um dos 3 primeiros lugares caberia à LENDA, de Caracol, e descobri que era minha filha Ana Carol!!!!!
adorei, realmente me surpreendi, e fiquei triste pois, achei que não poderia ser classificada, já que a nomeei editora há algum tempo, pela preciosa ajuda que vem me prestando, em especial, na parte gráfica do ME.
Mas foi interessante ver o potencial.E com as dúvidas, enviei meu dilema ao Júri e recebi o apoio,nas palavras da professora Constância, que me permito transcrever abaixo:
"(...) Mas sugiro que você dê à sua filha um DESTAQUE, até para incentivá-la a continuar."
" (...) Vejo como natural ela receber uma distinção, ainda mais sendo filha de quem é."


Formaram o Júri, os professores:

Constância Lima Duarte, da UFMG, pesquisadora - de BH- MG.
Graça Graúna, escritora e poeta, de Recife- PE.
Ronald Claver, escritor e poeta - de BH- MG

Bom,
houve alguma dificuldade, pelas notas bastante próximas, que mostram o nível das participações,e levando em conta critérios de correção gramatical, originalidade, beleza e criatividade, entre outros, chegamos ao seguinte resultado.


Lendas 

1 lugar - A Lenda de Iaraguaçu - Luiz Eduardo Caminha - Florianópolis - SC- médico, escritor, poeta e jornalista
2.lugar - Relíquia - Cláudia Cardoso - BH - Administradora de empresas, poeta, escritora.
3 lugar - A lenda do Rio Vermelho - Manoel Amaral - advogado, escritor. Divinópolis - MG -Criou o personagem Osvandir.

E por decisão do Júri, optamos por oferecer o título de DESTAQUE  aos trabalhos abaixo, relacionados por ordem alfabética dos títulos:


A dama da noite - Cristina Carone - Ubá-MG, reside em BH. Func. pública.
Badalos de uma lenda - Norallia de Mello Castro - BH-mg - escritora 
Cuidado com o que deseja- Eliane Accioly Fonseca - SP - Psicanalista, poeta, escritora, artista plástica.
Do barro nasCida - Sílvia Simone Anspach - SP - Profa.universitária aposentada, poeta e psicanalista.
Eclipse - Flávia Drumond Naves - Psicóloga e psicanalista -BH - MG
Foi assim - Karina Araújo Campos- Psicóloga e consultora empresarial-  BH -MG

Lenda - Ana Carol Diniz - publicitária, empresária, poeta e contista - BH - MG

Marteladas Noturnas - Karina Araújo Campos - Psicóloga e consultora empresarial- BH- MG
O pote de ouro - Marilia Murta Almeida- BH - MG - Psicóloga, profa. filosofia, tradutora e escritora.
Serenata - Karina A.Campos -   Psicóloga e consultora empresarial-  BH -MG
          
 ***

Da mesma forma, houve alguma dificuldade, pelas notas bastante próximas, que mostram o nível das participações,e levando em conta critérios de correção gramatical, originalidade, beleza e criatividade, entre outros, chegamos ao seguinte resultado dos poemas:

Poemas 


1 lugar - DrumondianaAlzira Célia Soares Sene - professora - Ribeirão Preto - SP
2 lugar - Apetite - Cláudia Cardoso - administradora de empresas, poeta e escritora - Belo Hte.- MG
3 lugar - Orlas - Ana Claudia Díaz - estudante - Buenos Aires, Argentina



E também por decisão do Júri, optamos por oferecer o título de DESTAQUE  aos trabalhos abaixo, relacionados por ordem alfabética dos títulos:

DIAS E RIOS - Eliane Accioly Fonseca - psicnalista, escritora, poeta. São Paulo -SP
ENTRELAZADOS - Maria Cristina Drese - poeta, escritora -  Buenos Aires - Argentina  
EXCEÇÃO À REGRA - Alzira Celia Soares Sene - Ribeirão Preto- SP

FOTONOVELA - Alzira Célia Soares Sene - Ribeirao Preto - SP- professora
LIBERTA QUAE SERAS TAMEN - Silvia Simone Anspach -São Paulo -SP                      
PENSAMENTOS OUTONAIS - Luiz Eduardo Caminha - Florianopolis- SC- médico, escritor, poeta e jornalista        
POSSEClaudia Cardoso - BH - MG
QUERENCIAS - Luiz Eduardo Caminha- Florianópolis - SC
RETRATO NADA MATERIAL - Alzira Celia Soares Sene - Ribeirão Preto -SP
VIOLETA - Rosina Valcárcel - Lima - Peru - dra.em Antropologia, profa. na Universidad de San Marcos
                
Os textos premiados serão publicados, oportunamente, em próximos jornais Mulheres Emergentes.    


MEU ABRAÇO FELIZ E PARABÉNS A TODOS!!!
tânia
                     

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Gente amiga!!! uns recadinhos:

Tenho tanto a dizer e estou absolutamente sem tempo de vir aqui!!!
depois do Natal espero ter mais folga.

Repasso e convido a todos para amanhã:


É com grande alegria que o Instituto de Gestão Organizacional e Tecnologia Aplicada _ IGETEC ® e o Comitê de Entidades no Combate a Fome e Pela Vida – COEP/MG, divulgam o resultado do Concurso de Redação “Como o Voluntariado Pode Transformar o Meu Mundo?”, em comemoração ao Dia Global do Voluntariado Jovem 2010.
O concurso, que contou com a participação de alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e de Universidades, mobilizou cerca de 120.000 estudantes e recebeu inscrições de mais de 100 instituições de ensino, localizadas no Estado de Minas Gerais.
A Cerimônia de Premiação será no dia 10 de dezembro, às 9h00, no auditório do BDMG - Rua da Bahia, nº 1600, Bairro de Lourdes, nesta Capital. 

A Comissão Julgadora, que contou com a participação de artistas e literatos, foi composta pelos seguintes membros:

Clevane Pessoa
Psicóloga, poeta, revisora e consultora teatral. Em 2007, pelo conjunto da sua obra, foi agraciada com o título de ”Poeta Honoris Causa", do Clube Brasileiro de Língua Portuguesa. Publicou, dentre outros: Mulheres de Sal, Água e Afins (2006), Olhares, Teares, Saberes, O Sono das Fadas e Erotíssima (2009). É Diretora Regional do Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais -  InBrasCi/BH e Embaixadora Universal da paz (CUAP/Genebra, Suíça).

Saulo Laranjeira
Humorista, ator, cantor, compositor e poeta mineiro. Apresentador do programa Arrumação, sucesso de público e crítica. Saulo Laranjeira é um dos mais completos artistas do país, respeitado no Brasil e exterior. 

Tânia Diniz
Poeta, contista, editora e promotora cultural mineira. Publicou os livros: Contos: O Mágico de Nós (1988; 2ª ed, 1989), Rituais (1997). Poemas: Mulher EmBalada (1992). Haicais: Bashô em Nós (1996), Relato de Viagem à Marmelada (1997), Flor do Quiabo (2001), entre outros. Graduada em Letras pela UFMG e fundadora do mural poético “Mulheres Emergentes” (1989), publicação trimestral de circulação internacional.

Cada membro desta comissão recebeu um envelope lacrado contendo, apenas, as cópias das redações que foram analisadas, sem qualquer identificação dos candidatos.

Segue o resultado, com os vencedores nas respectivas Categorias:

JÚNIOR – alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental
João Marcelo Bernardes Real, Itabira - MG

MASTER - alunos do 1º ao 3º ano do Ensino Médio
Victor Porto de Paula, Divinópolis - MG

SÊNIOR – estudantes de qualquer período Universitário em todas as áreas de conhecimento.
Ilda Aparecida de Amorim Franco, Uberlândia – MG

Cordialmente,                            
Comissão Organizadora
(IGETEC  & COEP/MG)


Desejo a todos um Santíssimo Natal, pleno de alegrias, saúde e festa, assim como o Ano Novo.


Comunico que o resultado do Concurso de Lendas e Poesia ME está por um fio, deverá sair até domingo e será postado aqui, além de que todos os participantes serão comunicados em seus e-mails.


E muito feliz, conto que a correspondência em atraso, relativa ao 5 concurso ME já está sendo expedida, logo logo a missão estará totalmente cumprida. Agradeço a paciência e carinho de todos.


Com muita alegria também, conto-lhes que dia 14 estarei indo a
Rio Branco, capital do Acre
convidada pela Universidade Federal do Acre para palestras sobre
o ME e eu. Só alegria, OBA!!!!!
Claro, trarei fotos e notícias mais detalhadas.

Nos vemos em breve,
chau, bjocas,
tânia


Laçou-me pelo desejo e afeto.
Tomou-me de assalto
esse cowboy do asfalto!
tânia diniz

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Amados amigos,

ainda preciso me ausentar, viajo agora para o Mato Grosso do Sul, com meu grupo de trabalho e pesquisa, e volto semana que vem, na 5a, possivelmente.E deixo um abração.

Lembro também queo resultado do Concurso de Lendas e Poesia ME sofreu alguns atrasos e deverá ter seu resultado anunciado em dezembro próximo. Boa sorte aos participantes!

Convido aos que estiverem em BH nestes dias a prestigiarem minha amiga e excelente escritora, Norállia de Mello Castro, que lança seu terceiro livros no dia 13 deste, às 17 hs, na livraria do Palácio das Artes.
Sucesso!

Bjocas a todos e até breve,
tania

O desejo, pluma,
tocou-lhe o corpo,
em espuma.
                                 tânia diniz






sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Gente, algumas fotos já recebidas:

Minha linda placa e as flores, e uma camiseta da campanha

eu, Tânia e a outra homenageada, Maria Lúcia, que representamos todas as mulheres que sofrem com a doença

minha amiga de colégio, Rosana Surette, à esquerda, e a dra. Patrícia, oncologista, que deram apoio nas informações ao público sobre prevenção ao câncer de mama. Ao fundo, parte da expo ME.

uma vista parcial do vibrante público ao som dos Tancredos

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Oi pessoal!!!!

mais um sumiço meio forçado, tive que fazer uma viagem - questões familiares .
Foi bom, mas continuo acumulada com meu trabalho, etc etc etc.
Sei que conto com o generoso perdão de todos e me esforço para me resolver logo, combinado?

Aguardo algumas fotos do evento no Mineirinho,da amiga Rosana e da minha filha, que não chegaram ainda devido á minha caixa de mensagens super cheia.

O encontro foi lindo e o show dos Tancredos, sensacional!!!
Uma beijoca e até breve, t.

sábado, 23 de outubro de 2010

Queridos,

amanhã acontecerá um evento musical, com a Banda Tancredos e outros artistas,
na Feira de Artesanato do Mineirinho, na Pampulha, a partir de 13:30 hs,
onde me apresentarei poeticamente, no intervalo da música (15hs) , e onde - pra meu orgulho e surpresa, soube que receberei uma homenagem.

È que o evento é a favor da campanha Outubro Rosa,
pela prevenção e combate ao câncer de mama, doença pela qual já passei, há alguns anos e consegui superar, também por tê-la descoberto em tempo, graças aos exames preventivos.
Entrada franca.

Aguardo vocês.
Bjo,
tania

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Queridos, apresento a lista dos homenageados lá no SINPRO-MG, dia 28 de setembro:

Recebem a homenagem do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais
por sua contribuição às lutas por direitos iguais e por um mundo mais justo.

Homenageados :


Abilde Maria Silva Carneiro – Professora da rede municipal e chefe do departamento
de coordenação de centros culturais da Fundação Municipal de Cultura.

Afra Siqueira Durães – Professora da rede pública estadual de Minas Gerais

Alaíde Lúcia Bagetto Moraes – Coordenadora da Comissão Estadual de Mulheres
Trabalhadoras Rurais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de
Minas Gerais - FETAEMG.

Alessandra Parreira Fialho – Chefe da Seção de Relações do Trabalho da
Superintendência Regional do Trabalho de Minas Gerais – SRT/MG

Ana Íris Teixeira Silveira - Titane – Cantora

Ângela Maria de Carvalho Araújo – Capitã da Polícia Militar e presidenta da
Associação de Mulheres Profissionais em Segurança

Aquiles Augusto Maciel Pires – Professor da PUC Minas

Constância de Lima Duarte – Professora da Faculdade de Letras da UFMG e
especialista em literatura e feminismo

Cristiane Francelina Dias – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra de Minas
Gerais

Dolores Maria Borges de Amorim – Diretora da Faculdade de Educação da UEMG

Fabiana Belizário Salviano de Lima – Historiadora e organizadora do livro Mulheres
na política: As representantes de Minas no Poder Legislativo

Fátima de Oliveira – Médica, especializada em bioética e saúde reprodutiva feminina,
é feminista e autora de vários livros sobre gênero.

Flávia Patrícia Couto – Pedagoga, pesquisadora do Grupo Gênero, Sexualidade e Sexo
em Educação da Faculdade de Educação da UFMG.

Gardânia Ferreira Jorge – Professora e ex-diretora do Sinpro Minas.

Heleodora Lamounier Miranda – Enfermeira e ex-diretora do Sinpro Minas.

Hercília Levy – Artista e feminista e ex-presidente do Movimento Popular da Mulher

José Roberto Freire Pimenta – Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, foi
advogado do Sinpro Minas

Luly Rodrigues – Professor da Fumec e da PUC Minas

Manoel Gonçalves dos Reis – Professor, ex-diretor do Sinpro Minas

Marcelo Lamêgo Pertence – Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho de
Minas Gerais, ex-assessor jurídico do Sinpro Minas

Marcos Roberto do Nascimento – Professor de Sociologia da Puc Minas

Maria do Carmo Lara – Prefeita de Betim

Maria Elizabeth Marques – Professora da Puc Minas, ex-diretora da Adpuc,

Maria José de Paula – Professora da PUC Minas, ex-diretora do Sinpro Minas

Marlise Miriam de Matos Almeida – Professora, coordenadora do Núcleo de Estudos
e Pesquisas sobre a Mulher da UFMG.

Nacib Rachid Lauar – Professor, ex–diretor do Sinpro Minas

Renato Godinho Navarro – Professor aposentado da Universidade Federal de Ouro
Preto, foi o primeiro delegado sindical do Sinpro Minas.

Roberto Chateaubriand – Psicólogo e conselheiro do GAPA (Grupo de Apoio à
Prevenção à Aids)

Rosângela Leite Souza – Ex-professora do Colégio Padre Eustáquio

Rosemeire Regina Pacheco – Coordenadora do Grupo Levante do Teatro do Oprimido
de Belo Horizonte.

Rozimeire dos Santos – Jogadora de futebol do time do projeto Menina Também Joga
Bem.

Tânia Diniz – Poetisa, escritora e editora do Jornal Mulheres Emergentes

Tereza Scofield – Professora da Universidade Estácio de Sá

Terezinha Maria Ferreira Quintão – Professora aposentada do Colégio Padre
Eustáquio

Valentina Somarriba – Historiadora, organizadora do livro Mulheres na política: As
representantes de Minas no Poder Legislativo

Walter Andrade Parreira - Professor e ex-diretor do Sinpro Minas e da FITEE
(Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino)

Wanda Rodrigues – Professora do Colégio Santo Antônio e ex-diretora do Sinpro
Minas

Zélia Passagem Aquino – Funcionária aposentada do Sinpro Minas

Maria da Penha Maia Fernandes – Biofarmacêutica cearense, cujo
nome virou símbolo da luta pela erradicação da violência contra a mulher.

Elizabeth Altina Teixeira – Fundadora da Liga Camponesa de Sapé na Paraíba

Nilcéa Freire – Professora e ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM)

***

REPRODUZO A MATÉRIA PUBLICADA NA REVISTA:


O feminino em cartaz
por Denilson Cajazeiro


                                                       Mark Florest
                           Tânia Diniz, editora do jornal Mulheres Emergentes, divulga a literatura feminina.
                    




A poeta e contista Tânia Diniz teve uma ideia
ousada no final dos anos 80. Depois de participar de
uma exposição de poemas num bar da Savassi, em
Belo Horizonte, em que, por acaso, só houve
participação feminina, decidiu criar um jornal com
poesias feitas por mulheres. Daí nasceu Mulheres
emergentes, em 1989, uma publicação trimestral
em formato de cartaz que enfatiza o feminino e o
sensual nas artes. Já são 21 anos dessa bem-sucedida
experiência poética que percorre o mundo.
“Vi essa exposição, com poemas muito mais
eróticos do que os meus, e disso nasceu a ideia de
fazer um jornal só de mulheres, que enfatizasse o
sensual. Fiz o número zero, experimental. Foi o maior
sucesso e a maior polêmica. A notícia foi parar no
Jornal do Brasil, e comecei a receber elogios e
poemas, montanhas de papel do país inteiro e do exterior
também”, conta Tânia Diniz, que também é
haicaista e já recebeu vários prêmios literários, entre
eles os de concursos realizados pelo Sindicato dos
Professores (Sinpro Minas), além de ter participado
de exposições na Alemanha, no Canadá, entre outros
países.
O nome do jornal, que a cada edição enfrenta
uma batalha financeira para ser publicado, veio do
livro A mulher emergente, da psicóloga Natalie Rogers,

que ela lera no final dos anos 80. “Percebi por
aquela leitura que todas nós, mulheres, fazemos o
tempo todo, a cada momento, uma emersão da
opressão masculina e uma colocação de si mesma,
exigindo respeito, reconhecimento. Naquela época,
esse assunto estava mais presente”.
Como muitos homens têm uma alma feminina
bem presente – o exemplo mais conhecido entre nós
é Chico Buarque de Holanda –, desde o número 1
Tânia reserva um pequeno espaço para a participação
deles. “Quando consigo, faço um jornal especial de
algum poeta, inclusive de homens. O Carlos Nejar
[poeta, ficcionista e membro da Academia Brasileira
de Letras] me pediu para eu fazer o dele, e eu fiz”,
revela.
Desde 2005, após enfrentar um câncer, Tânia
ampliou o espectro poético do Mulheres Emergentes
para além do sensual. “Espiritualizei-me mais depois
dessa fase da doença. Busco manter o clima que fez
o trabalho ser pioneiro, mas publico hoje
especialmente o belo, que é o que move as pessoas”,
afirma, após contar que amigos a ajudam no trabalho
de divulgação, distribuindo-o mundo afora, e que
o primeiro concurso do jornal, realizado três anos
após o número zero, foi feito em cinco línguas
(português, francês, espanhol, italiano e inglês) e
recebeu 1,6 mil inscrições do Brasil e de países da
Europa, Estados Unidos, América do Sul e África. “As
pessoas me ligavam, pedindo o regulamento. Meu
telefone não parava de tocar. Desciam kombis do
Correio aqui em casa com quilos de papel”, relata a
escritora.
Dias de inquietação
A relação dela com a literatura começou desde
jovem, mas a produção mesmo veio anos mais
tarde, em fins de 1987, depois de “alguns dias de inquietação”.
“Foi uma coisa louca. Não conseguia fazer
nada, deitava e não dormia. Até que um dia percebi
que minha cabeça estava cheia de palavras. Percebi
que possuíam algum valor e em uma semana escrevi
quilômetros de textos. Fui premiada no primeiro
concurso que participei, com um poema surrealista.
Ali descobri que era isso que fazia sentido em minha
vida. Não paro de fazê-lo porque não dou conta”,
afirma Tânia Diniz.
A estreia no circuito livreiro foi em 1988,
com uma obra de contos de realismo fantástico e
sensuais, O Mágico de nós, feita de forma independente.
“Quando Murilo Rubião leu, disse que
eram publicáveis. Achei isso um elogio, porque ele
era muito fechado. Então já fiquei feliz. Ele me perguntou
se eu havia participado de um concurso da
UFMG. Disse que sim, que havia enviado um
conto de realismo mágico. Aí ele falou: ‘ah, eu me
lembro, você foi a única que mandou dentro do
realismo mágico e não desagradou’. Outro elogio.
Depois ele fez muito mais por mim, me deu uma
carta de recomendação, dizendo que eu era um
jovem talento”, conta a escritora, hoje com mais de
dez livros publicados e participação em várias
antologias.
Atualmente, Tânia se dedica a administrar a
editora alternativa Mulheres Emergentes e a
alimentar o seu blog, também com o mesmo nome
do jornal (www.mulheresemergentes.blogspot.com),
além de ministrar oficinas de haicais e aulas
particulares de idiomas. Participa ainda de exposições
e saraus e realiza concursos internacionais
de poesias, ilustração, minicontos e lendas. Há
também o projeto de desengavetar um livro de
poemas, há tempos na fila de publicação. Tem se
enveredado, nos últimos anos, a fazer leituras públicas
de seus poemas e microcontos. Um dos seus
poemas, o Desamada, tem causado certo frisson entre
as mulheres, cujos versos dizem o seguinte:
Chega de romance, / amor agora só free-lance. Há
também um microconto com ibope elevado entre o
público feminino, conforme revela a própria poeta.
Chama-se Maria da Penha: Exultante, engoliu o
último sapo, ao molho pardo. Feito com sangue do
marido morto na cozinha. “Meu marido, quando leu,
falou: ‘você fez esse pra mim, não é?’”, conta Tânia
Diniz, em meio a risos de satisfação.

   
ELAS POR ELAS- setembro 2010 .

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Finalmente, algumas fotos da festa do Sinpro-MG,

quando fui homenageada,
no evento em comemoração aos cem anos do dia 08 de março,
dia Internacional da Mulher.
Eu, na 1a. foto, quando eram projetados os slides a respeito de cada homenageado:


Aqui, quando recebi minha linda placa, das mãos de Gilson Reis, presidente afastado Sinpro-MG e Lavínia Rodrigues


Minha querida amiga Constância Duarte, também homenageada, e eu, ladeadeando a velha amiga, Morais

Meu abraço em outra velha amiga, a cantora Titane, também homenageada


E mais amigas, Bebela - Ma. Izabel Ramos de Siqueira - coordenadora da UBM/MG, União Brasileira de Mulheres, e presidente do MPM, Movimento Popular da Mulher, e eu, que ladeamos a artista plástica, também homenageada, Hercília Levy


minha amada filha Carol e eu


O momento em que EU recebia as revistas das mãos de Cláudia Pessoa, secretária geral da UBM


E o momento em que dava uma entrevista à jornalista Adriana Borges, para o programa de TV do Sinpro-MG, Extra- Classe - aos domingos, 10:50, na Band.



Queridos, em breve voltarei com mais fotos e novidades.
Bjim, chau...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Queridos amigos,

não consegui postar ontem, quando escrevi e acabou a luz, 
vai hoje,com a despedida do mês de setembro e a expectativa do próximo domingo, das eleições presidenciáveis...

aguardando algumas fotos, consegui postar agora o convite do evento de ontem, do Sindicato de Professores de MG, SINPRO-MG, com o lançamento da revista especial, anual, Elas por Elas, em homenagem aos cem anos do dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher.

Várias personalidades foram homenageadas e receberam placas comemorativas personalizadas, um barato!
Entre elas, orgulhosamente, EU!!!!! oba!!!!

Foi uma linda festa,a revista está liiinda, um ótimo coquetel e grandes presenças. Contarei delas logo que receber as fotos.



Apesar da alegria desta homenagem, um cantinho do meu coração ficou dolorido por não poder ter ido prestigiar dois poetas que lançavam seus livros e se apresentavam em BH, ontem no mesmo horário, e com o transtorno da chuva o dia todo, a amiga Bárbara Lia, de Curitiba e José Inácio, de Salvador.
A eles, meu carinho.
 ***
E aqui, algumas fotos do dia 02 de setembro passado, no evento do Hospital Espírita André Luiz de lançamento da Campanha de venda de camisetas ilustradas (super bonitas, todas!!!) por artistas plásticos que doaram suas obras para o HEAL. Entre eles, alguns amigos: Iara Abreu, Guido Boletti, Yara Tupinambá e Jarbas Juarez...

Nesta foto,Guido (camisa listrada) e eu, Tânia,com os produtores do filme Nosso Lar que, fazia sua pré-estréia na cidade na mesma noite, Luis Augusto e Iafa Britz. Apresentaram 'a platéia um trailler do filme, super bacana!


Aqui, eu, Tânia Diniz, entre Jarbas Juarez e G.Boletti

E aqui, a alegria de rever Yara Tupinambá, sumida há um tempão...rs

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Gente!!!

SAUDADES!!!
consegui dar essa fugidinha até aqui pra contar, e convidar:
hoje às 20 hs, no SINPRO-MG, lá na Floresta, haverá a festa de lançamento da
revista especial do ano, Elas por Elas, onde acontecerão homenagens e
receberei uma delas.
Chiquérrimo, não?
A revista traz uma matéria sobre o Mulheres Emergentes e eu.
depois eu conto...
bjocas

domingo, 19 de setembro de 2010

Olá!

um domingo nublado e friozinho amanheceu! delícia. Consegui passar por aqui de novo, pra contar que a apresentação poética de ontem foi muito bacana e que termina hoje o Mercado Alternativo,17 hs. Ainda dá tempo de visitá-lo e à Exposição dos murais Mulheres Emergentes, linda!rs. E de lá, saí correndo para o trabalho de campo do meu Grupo de pesquisas, parapsicologia e ufologia, que tbm foi muuuito bom!
E só voltei no fim da noite, mortinha, rs
Viajei de todas as maneiras poéticas, afinal!

Agora, me apresso a continuar o (lento) trabalho de endereçamento do material pra envio pelo correio!
(Tomara que eu consiga terminar logo, para a postagem...)
e deixo-lhes um haiku:

no canto da janela
nova linha do horizonte:
o fio da aranha.
                                                   tânia diniz

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Queridos!!!


Desejando que tenham um ótimo fim de semana,embora ainda com dificuldades de tempo, postagem e outros bichos, espero vocês na minha apresentação poética amanhã, às 11 horas da manhã, no Mercado Alternativo, que está no Mercado Distrital do Cruzeiro.
Bjo, tania

domingo, 12 de setembro de 2010

Convite e lembranças!

Amigos, aí está o convite para o divertido Mercado Alternativo! Tem roupas, acessórios, comidas, arte e beleza! A Santa Liga, mimos e lingeries, também estará lá... Terá exposição Mulheres Emergentes e, no sábado, dia 18 de setembro, às 11 horas, estaremos nos apresentando poeticamente lá, eu, Tânia Diniz, e minha amiga Lívia Tucci, pela Cia. Poética Estação Platina, e esperamos vocês. No Mercado Distrital do Cruzeiro.







Lembranças da festa no sítio da prima Susana, em julho! Fazia um frio gostoso e ventinho.
E tinha expo ME lá também, homenagem a mim, uma delicadeza!

Susy (poeta  também) e eu, Tânia:

Flávia Naves (uma das vencedoras do 5 Concurso ME) e eu, Tânia:


E eu me apresentando por lá, convocada em homenagem à Susana...
Boa semana, pessoal!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Queridos,

já me sinto sem jeito mas, não tenho conseguido ser mais presente, desculpem.
Tenho tido muitos compromissos, trabalho de hora marcada, afazeres domésticos, tudo, tudo, e me sinto muito cansada. Tento cumprir tudo, todos os dias, mas não estou conseguindo, sempre falta algo. Espero conseguir melhorar a cada dia, e finalizar a contento, cumprindo as tarefas atrasadas e as que vão chegando.
E conto com a compreensão e gloriosa paciência de vocês.Obrigada.

Terminou o mês de agosto e setembro, mês das flores, chegou! As inscrições ao Concurso de Lendas ME se encerraram e os trabalhos já estão em preparo para serem enviados aos Jurados na próxima semana.Esperamos o resultado para fins de outubro. Todos serão comunicados.

Deixo um poeminha e volto em breve, para atualizar as notícias.
bjocas, tania


crespo cacho de pétalas
nervuras em tons azuis:
buquê de hortências.
tania diniz


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Gente,
passo por aqui ,correndo, pra dizer de saudades,
e dos compromissos - inclusive médicos - que me ocupam tanto que ainda não pude postar melhor.

Perdoem mas, já to achando que fazem parte de mim, porque estão acontecendo tanto!!! rs

Recebi vários pedidos e receberei as inscrições ainda até dia 31.8, para o Concurso de Lendas e Poesia ME, aproveitem.

Também estou incomodada por ainda não ter conseguido enviar o material pendente do correio, para as pessoas que o esperam mas, estou tentando faze-lo e logo conseguirei.
Se aceitarem meu pedido, por favor, desculpem esse atraso.

Uma beijoca e volto logo, logo, com poesia, prometo.
tania

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Última semana!!!! ainda dá tempo!!!!

Amigos,
passei aqui, rapidinho, pra lembrar que ainda dá tempo de enviar suas lendas ou poemas...para o Concurso ME, vai... até o fim da semana, ok?
No aguardo, beijocas a todos,
tânia

domingo, 22 de agosto de 2010

Mais um poeminha do meu baú!

Taça



Sorvo


em largos tragos


em suaves goles


Degusto


a espuma


que trespassa,


doce cachaça,


teu prazer e o meu


quando recolho


trôpega e louca


a paixão


na taça da tua boca.  TD

Gente, estou em falta com muita gente, no envio de material pelos correios. "Devo, não nego", pagarei muito em breve. Tive  mais uma semana frenética que culminou hoje com o dia no hospital, acompanhando meu amado e idoso pai - que já está bem - depois de uma queda feia, em casa.Eu tinha reservado dia para preparar o material mas,continuarei devendo por mais um tempinho, perdoem. Boa semana!

domingo, 15 de agosto de 2010

Um domingo tranquilo!

E amanhã, bem cedinho, terei um encontro com alunos do Colégio Piedade, do 2 grau.
A convite da professora Patrícia Namitala, estarei ministrando ali uma Oficina de Haicai e, tenho certeza, será bem agradável.

Desejando um bom final de domingo, uma ótima semana a todos, neste clima ameno, nada de frio forte ou calorão (uma delícia!), descolei esse poema antigo:


Ocaso

Nos raros dias

em que você volta a me ver

tudo vale a pena!

A alegria se instala

o sol canta  o jardim fala!...

E, invejoso, o tempo, o tal cotidiano,

te leva depressa, pobre príncipe.

Nubla minha tarde, e eu, triste rã,

um fiapo de esperança vã, resto sombria,

na calma vazia, onde se infiltra, tênue, um fio de poesia.
                                           tânia diniz
chau!



sexta-feira, 13 de agosto de 2010

13 de agosto, dia de sorte!!!!

Queridos,
vejam que beleza de ilustração o amigo Sylvio Adalberto preparou para o meu haicai, para a festa!!!

É o Bunka-Sai, Festival da Cultura do Japão em Petrópolis - RJ
agitado pela Academia de Letras Raul de Leoni, lá de Petrópolis, de onde Sylvio é o Presidente.

o convite, por fora...

e por dentro.

Não está tudo muito lindo?!
Daqui, ficamos babando e desejando
Boa festa, amigos, muito sucesso!


quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Um gratíssimo encontro!


Na última terça-feira, o feliz encontro com as poetas de Recife, Pernambuco (editora Calibán),
           Karla Melo e Patrícia Tenório.
Esbanjaram graça e poesia no Terças Poéticas!
 

Patrícia Tenório e Karla  Melo no palco.


o grande sorriso de Karla Melo e eu, Tânia Diniz.

E LEMBREM-SE, AINDA É TEMPO DE CONCORRER AO
I Concurso Internacional de Lendas e Poesia ME, ATÉ 25.8.10!
ENVIE PRIMEIRO SEU EMAIL, O CORREIO VIRÁ DEPOIS!!!!rs

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Um justíssimo protesto!

Katia Machado Pino (www.katiapino.blogspot.com) nos envia o excelente artigo abaixo, encaminhado por sua prima Tânia Barroso.
"Não é novidade o que está escrito, mas nem sempre o confessamos tão abertamente. Vale a pena a leitura, a indignação. Enquanto lutamos para salvar uma mulher do apedrejamento (ato extremo, indigno, mas abertamente preconceituoso com leis aparando-o), deixamos morrer as Elizas, as Mércias, as Marias e tantas outras, pelo silêncio e conivência com seus carrascos.
Grande abraço a todos.
Katia Pino. "
Concordo e repasso a vocês, digno de nossa leitura. Tânia

Sábado, Julho 24, 2010
A lei não escrita

ROSISKA DARCY DE OLIVEIRA
O GLOBO

É possível que, nas sombras, uma mulher tenha sido estrangulada e jogada aos cães.

Outra, à luz do dia, seria morta a pedradas não a tivesse salvo, in extremis, uma corrente global de defesa de direitos humanos. Por enquanto...




“Uma piranha” querendo extorquir o goleiro do Flamengo, me explicou um chofer de táxi, indignado com a injustiça contra o acusado. A outra, adúltera, palavra maldita na boca de aiatolás escandalizados, no Irã do companheiro Ahmadinejad.




Fogo, pedras, bala nas costas ou rotweillers, aqui ou lá, são fins previsíveis das mulheres atiradas na vala das indecentes. No Irã, apoiada na religião e na tradição, a execução é legal.

No Brasil, é clandestina e selvagem, apoiada na inoperância do Estado e na apatia da sociedade.




As Delegacias de Atendimento à Mulher foram necessárias. Quem recorria a uma delegacia comum esbarrava no preconceito da própria polícia.

Mereceu a surra que levou? Provocou com pérfida sedução o estupro que sofreu? Houve quem risse, cúmplice, quando o goleiro Bruno perguntou qual o homem que, na vida, nunca saiu na mão com uma mulher. Quem se associaria hoje, mesmo em um sorriso, a tão ilustre pensador?


A lei Maria da Penha exprime o repúdio de mulheres de todas as classes à barbárie de um mundo anômico e sombrio. Exigiram proteção do Estado e punição para agressores e assassinos, fossem eles maridos, amantes ou namorados eventuais. Supunhase que a lei teria efeito punitivo e também dissuasório. Anos depois, o país registra a cifra estarrecedora de uma mulher assassinada a cada duas horas. Que sociedade de orangotangos é essa? Que democracia inconclusa é essa?


Paradoxo inexplicável, um país que se apresenta ao mundo como potência emergente, alardeando modernidade, com duas candidatas à Presidência da República, é o mesmo que convive com o massacre das mulheres, nos aproximando do que há de mais anacrônico no mundo contemporâneo.




Eliza Samudio procurou uma delegacia, invocou uma lei e foi enviada a um juizado que existia para protegê-la.

Deixada ao desabrigo, foi morta. O sistema judiciário falhou tragicamente.

A responsabilidade, cabe a ele mesmo apurar e punir. Não é a primeira vez que falha. O jornalista Pimenta Neves, assassino confesso que, pelas costas, executou a amante, condenado a dezenove anos de cadeia, está em liberdade, blindado por artimanhas jurídicas.




O cidadão Joseph K, no livro “O Processo”, de Franz Kafka, é encarcerado por um crime cuja acusação não conhece. Pimenta, personagem kafkiano pelo avesso, foi libertado malgrado um crime que confessou.




Tão perigosa quanto a violência explícita do crime ou a inoperância da Justiça é a violência surda dos olhares enviesados, dos “mas” ou “talvez” que desculpam a brutalidade, argumentando que a moça não era nenhuma santa. Crimes bárbaros encontram atenuante nos “pecados” sexuais atribuídos às mulheres. Só elas são ‘vagabundas’, resguardado aos homens o direito a fazer em matéria de sexo o que bem quiserem sem que isso interfira em outros aspectos de suas vidas ou reputação.




Don Juan e Casanova são os modelos mais acabados da virilidade bem sucedida.

A literatura está cheia de exemplos de rapazes pobres que “sobem na vida” casando-se com herdeiras e tudo se passa em um clima de esperteza consentida e incentivada.

Não há masculino para piranha.




Políticos fazem orgias, jogadores de futebol também, condenadas são as mulheres que delas participam.

Eles não, apenas exercem um direito ancestral — são folguedos, farras — em que usam seres humanos como coisas que desprezam.




Não nos iludamos, a chamada mulher honesta também apanha se contraria um violento. O sentimento de poder não aceita desobediência .




A falha não está somente na Justiça.

A lei, por melhor que seja, não arranca as raízes de uma cultura perversa.

Quem muda a cultura são os homens e mulheres que decidem recusar em suas vidas as relações de poder que deságuam nessa aberração.

A sociedade não é uma abstração, é o dia a dia das pessoas, nos gestos de amor ou de ódio, no sexo que reconhece — ou não — qualquer mulher como um ser humano.




Assassinos de mulheres não são necessariamente psicopatas. São criminosos que acreditam no seu bom direito de matar e por isso não se arrependem.

Mortas, suas vitimas continuam a ser culpadas.




Há países islâmicos em que as impuras são jogadas em um buraco e apedrejadas. Não seria essa a encenação perfeita, a atualidade e materialização de uma lei que, não escrita, ainda vigora, também entre nós, inconsciente ou inconfessa .

                                    * * * 

Hoje tenho também, algumas fotos:


 na sexta-feira passada, 06/8, o amigo e escritor português, homem de teatro, Cunha de Leiradella, que depois de morar durante anos aqui em BH, voltou à terra natal, esteve em visita meteórica à cidade e aos amigos.
Foi um delicioso encontro na Casa dos Contos, de Edmar Roque, na Savassi. Também eu, e muitos ali, revíamos gente querida, há muito sem contato. Uma loucura de entra e sai o tempo todo.
Consegui alguns clicks da querida amiga Magdalena Rodrigues (atriz)

                               Cunha de Leiradella e eu, Tânia Diniz


                           Magdalena Rodrigues, atriz e atuante presidente do Sated-mg,
                                                                      eu, Tânia,
                                  ladeando o querido Antônio Barreto, premiadíssimo escritor.

Barretinho, eu, Tânia, Fernando Brant,e mais ao fundo, Ronaldo Simões Coelho, Vivina de Assis e Adelaide, esposa do Cunha.


                                          Magdalena e eu, Tânia


 uma vista parcial, do fundo pra frente, da grande mesa de confraternização, onde se vê ao longe, de pé,os louros cabelos da amiga Lívia Tucci, o querido Luís Giffoni e eu, Barretinho. E em frente a nós, Branca de Paula, Adelaide, abaixo de mim, sentada, a amiga Cristina Agostinho... tanta gente, perdoem, não sei alguns nomes...lá longe se vê ainda o Fernando Brant, que estava em frente a outros, inclusive o João Baptista de Melo. Enfim, foi um agradabilíssimo encontro do qual, no dia seguinte, o Cunha fugiu que nem a Cinderela à meia-noite, partiu de BH por mais um tempinho! Volte logo, meu lindo.



Queridos, não se esqueçam,participem do I CONCURSO DE LENDAS E POESIA ME, até 25/8/10!!!!
beijo, pessoal! tânia

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Notícia triste ao abrir meu e.mail agora!!!


O escritor Luiz Lyrio nos deixou neste domingo à noite.

 por Familia

Se nós, filhos, perdemos um pai, com certeza todos que o conheceram perderam um grande amigo e, o Brasil, um grande escritor.
A partir de agora o que nos conforta é perceber em suas obras a mente inquieta, contestadora e, com certeza, cheia de liberdade.
Bom, vocês que também o conheceram podem falar mais sobre ele...
Fica a sensação de reticências ....muitos caminhos foram trilhados....mas ainda havia muito a percorrer ... ele nos deixou num grande momento de sua vida....
O velório será no Cemitério Parque da Colina (Rua Aimorés, 2954 - Sto Agostinho) a partir das 7hs, hoje, 09/08/2010 (segunda-feira).
O enterro será às 17horas deste mesmo dia.
Todos sabem o quanto nosso pai gostava de se sentir querido.
Contamos com a presença de todos,
A família

à família, meu pesar e solidariedade!
tânia

domingo, 8 de agosto de 2010

FELIZ DIA DOS PAIS!!!!

Meu carinho a todos os Pais, neste seu dia!
Um beijo especial ao meu querido Papai e ao meu sogro, meu segundo Papai.

Não tem nada a ver com a data mas, deixo um continho pra vocês, hoje. Mas, pensando bem, fica como minha homenagem aos meus (maravilhosos, amigos, eficientes, etc etc) médicos que também são Pais!

Exames

O coração batia-lhe em freqüentes e estranhas taquicardias. O mal estar tomava-lhe o corpo e a mente, deixando-a fatigada, apática, e com muito medo. Não queria morrer.


Lembrava-se ainda de tanto que sonhara e do pouco que tivera; e apesar de nublado, relâmpagos de desejos ainda rasgavam seu céu interior. Queria ânimo e motivos para amar de novo, para sentir a alegria da vida.


Este exame, última cartada do avanço da medicina, era cansativo, deixava-a apreensiva e louca pelo diagnóstico definitivo - apenas daí a quatro dias! A máquina poderosa explorava seu corpo, o líquido cintilante viajava por suas veias e artérias, era vista pelo avesso.


Alta noite, dias depois, quando o telefone tocou, a terna voz do médico trouxe-lhe o alívio de um resultado normal e encheu-lhe os canais auditivos de assombrosa suavidade. Sentia-os envolvidos em macia seda, que já lhe tomava todo o corpo em sensações desencontradas.
Feliz, sentiu-se bem, apesar de acelerado ribombar no peito (mas, sabia, agora que provinha do ouvido, pelo que escutara há pouco) e, quando pediu a ele para reler as páginas do laudo, o médico viu saltarem daquele coração ali gravado no papel, coloridas borboletas, levíssimas plumas e muitos, tantos dourados sonhos ! - positiva e doce reação daquela (im)paciente ao íntimo som de sua voz.
tânia diniz

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Queridos,

como já contei, agosto é um mês de que gosto e o considero de sorte, né. Então, recebi um texto lindo, que repasso a vocês:

Agosto, mês da Pachamama
Por Elaine Tavares - Jornalista

O mês de agosto é um tempo sagrado na América andina. É o mês no qual se rendem homenagens à Pachamama, a mãe terra. Por todos os rincões deste espaço geográfico, lugar dos collas, aymaras, quéchuas e tantas outras etnias, os amautas (sacerdotes) preparam oferendas, as wajt´as, que vão desde doces e comidas típicas até fetos de llamas e ovelhas. Com as oblações vão os pedidos de saúde, dinheiro e trabalho. Apesar de mais de 500 anos de colonização e domínio da religião católica, não há quem não ofereça seu presente a Pachamama neste agosto que já começou.


Para os amautas ayamras este é considerado o período de “lakan paxi”, o mês da boca, porque é nesse período que a grande mãe abre sua boca para receber as oferendas dos seres humanos que sobre ela andam, vivem e amam. Muitas são as cerimônias celebradas por todo o território. Algumas são bem simples, feitas em casa, pelas famílias. Outras, realizadas pelos yatiris relembram os ritos ancestrais e invocam os antigos deuses do mundo andino, os achachilas, que moram nos cerros nevados do Illimani, Huayna Potosí, Mururata, Sajama e Chijcha. Nestes dias de agosto também é hora de invocar as forças que vivem nos rios e os espíritos dos animais.
Para quem crê nas formas anímicas e nos deuses antigos, nada melhor do que preparar uma boa cerimônia nestes dias de frio. O mês de agosto inteiro se presta a estas homenagens.

Em tempos de grande destruição da natureza, provocada pelo modelo de desenvolvimento do modo capitalista de produção, talvez seja hora de uma boa reflexão e de um encontro com o sagrado. Das montanhas nevadas dos Andes ecoam os cantos e sobe a fumaça dos incensos. Os deuses antigos esperam dos homens e das mulheres o respeito e a harmonia. E a Pachamama quer, ora quieta, ora em ebulição, que os seres humanos compreendam que são apenas uma espécie a mais pisando o lugar.


Neste dia primeiro de agosto, seguindo a tradição, fiz bolinhos de chuva e ofereci a mãe terra. Pedi proteção, saúde, alegria, para mim e para todos no mundo. Pedi que ela abrisse os olhos daqueles que a golpeiam para que possam ver o grande presente que é estar vivo, e pisando neste chão. Pedi piedade para os que não compreendem e pedi forças para enfrentar mais um ano, até que chegue o novo agosto.
Que viva a Pachamama, toda a honra a grande mãe!!!

Existe vida no Jornalismo
Blog da Elaine: http://www.eteia.blogspot.com/
América Latina Livre - www.iela.ufsc.br
Desacato - www.desacato.info
Pobres & Nojentas - http://www.pobresenojentas.blogspot.com/ 
Agencia Contestado de Noticias Populares - http://www.agecon.org.br/

Agora, mais uns prometidos microcontos meus e suas traduções, que os aguardam no excelente
site EN SENTIDO FIGURADO:



Romance
Beijou o sapo. Teve sapinho.

Romance
Besó al sapo. Tuvo sapillo.

Romance
Elle a embrassé le crapaud. Elle a eu « sapinho »3.

3Jeu de mots difficilement traduisible. Sapinho c’est un petit crapaud mais aussi une maladie buccale, une aphte des nourrissons.


Abalo
Quando deu por si, o sismo.

Conmoción
Cuando cayó en sí mismo, el seísmo.

Commotion
Quand il est tombé sur lui-même, quel séisme.

Cinderela

Quebrou o salto e comeu a abóbora. O Príncipe virou sapo.

Cenicienta
Quebró el talón y se comió la calabaza. El príncipe se convirtió en sapo.

Cendrillon
Elle brisa le talon de sa chaussure et mangea la citrouille. Le prince se transforma en crapaud.


Traducción del portugués al español: Emilia Oliva y Jesús Carlos Rodríguez.
Traducción del portugués al francés: Emilia Oliva, Puerto Gómez y Christian Peytavy.


E a apresentação do novo livro do amigo Iacyr:
 
 VIAVÁRIA

Iacyr Anderson Freitas
136 páginas - R$30,00
ISBN 978-85-7751-057-3
Publicado em julho de 2010 em coedição com a Funalfa

O MELHOR EXEMPLO DA POESIA CONTEMPORÂNEA

Viavária, de Iacyr Anderson Freitas, é um livro novo e depurado. Composto de 10 partes, os poemas são nelas distribuídos como uma espécie de “roteiro de leitura”, sendo, ao mesmo tempo, concentrados temáticos e formais.
O título do livro – Viavária – é um feliz achado, que indica os múltiplos caminhos realizados pela extensa e consistente produção poética de Iacyr. Porque neste livro, esses concentrados poéticos, são cristalizações de sua própria poesia anterior, da poesia brasileira moderna (e modernista), da poesia nossa contemporânea e, ainda, dos novos rumos do poeta. Os temas mobilizados nos poemas são amplos e variados. (...)
Essa variedade sobressalente do olhar e da voz de um poeta consumadamente moderno e contemporâneo se expressa em variadas formas poéticas (há inclusive métrica e rima em diversos poemas) através de dicções variadas, entrando o humor, a ironia, a melancolia, a meditação e não raro um certo enjoo frente à matéria do mundo.
O leitor degusta em Viavária finíssimos cristais de poesia vivida e criada, pois Iacyr Anderson Freitas é “um dos nomes centrais entre os poetas brasileiros nascidos na década de 1960”, acrescentando com esse livro “mais um título de primeira ordem à sua obra de exemplar coerência”.
Valentim Facioli

E NÃO SE ESQUEÇAM, O
I CONCURSO INTERNACIONAL DE LENDAS E POESIA ME
ESTÁ RECEBENDO INSCRIÇÕES ATÉ DIA 25 DESTE MÊS!
APROVEITEM, PARTICIPEM! aguardo vocês!

au revoir, queridos! t.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Maravilhosa notícia!!!!

Queridos,
recebi com muita alegria,  a notícia de que
microcontos meus,
traduzidos para o espanhol e francês, além do português,
estão publicados excelente revista virtual espanhola
EN SENTIDO FIGURADO
que os convido a visitar:

En sentido figurado

http://www.ensentidofigurado.com/

Para dar água na boca:

Cinderela
Quebrou o salto e comeu a abóbora. O Príncipe virou sapo.

Cenicienta
Quebró el talón y se comió la calabaza. El príncipe se convirtió en sapo.
 Tradução: Emilia Oliva y Jesús Carlos Rodríguez
 
Amanhã  mostro mais e em francês também.
                                *
Hoje também acabei de estrear no blog Tertulia Pão de Queijo, um blog coletivo, mais uma idéia genial, conheçam.
                                *


Ontem tive a alegria de estar com os amigos Lucas Guimaraens (SP) e Afonso Henriques Neto (RJ), que se apresentaram com muita categoria no Terças Poéticas e falaram da família Guimaraens,
desde Bernardo de Guimaraens  ( do conhecidíssimo livro A escrava Isaura), do tio-avô poeta simbolista, Alphonsus de Guimaraens até seus próprios poemas!...
                                                          *

E mais uma lembrança do Centro Cultural Padre Eustáquio, em julho, na foto -click de Márcia Araújo -


Wilmar Silva, eu - Tânia Diniz, Fernando Aguiar, Inez Alves e Iara Abreu.

Beijocas,
tânia

domingo, 1 de agosto de 2010

mês de agosto!

Queridos,
passo rapidamente por aqui para saudar a vocês e o novo mês que se inicia!
Sempre o considerei meu mês de sorte e espero que não me/nos decepcione nesse ano!

um poeminha:

Abrasada paixão pede frescor.



Teu amor, teu cheiro e gosto:


ventos de agosto.
tânia diniz

Até mais!
t.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pessoal, hoje trago algumas fotos...

MAS ANTES DE TUDO,
PRECISO COMUNICAR QUE, DEVIDO AOS MEUS PROBLEMAS E ATENDENDO AINDA A ALGUNS PEDIDOS, O PRAZO PARA ENCERRAMENTO DAS INSCRIÇÕES PARA O
I CONCURSO INTERNACIONAL DE LENDAS E POESIA MULHERES EMERGENTES
SE ESTENDERÁ ATÉ O DIA 25 DE AGOSTO DE 2010.
AGRADEÇO A COMPREENSÃO DOS PARTICIPANTES E AGUARDO QUEM AINDA NÃO CHEGOU...

* * *
Ainda estou um pouco fora do ar pois,
acho que contei, tive problemas familiares de saúde que ainda estão terminando mas,
ainda assim, apesar de sair dos lugares que nem uma Cinderela à meia-noite,
estive no ótimo coquetel de abertura do 6 Belô Poético, organizado pelos amigos 
Rogério Salgado e Virgilene Araújo, no Sesc Laces
e na 6a, na apresentação da livraria Status.
E no dia 24 de julho, no Centro Cultural Padre Eustáquio,
na apresentação do amigo Fernando Aguiar.

Aqui, leio o belo poema do Fernando, DESEJO(S)



Aqui, após a apresentação do Fernando, um registro do encontro:
Wilmar Silva, eu - Tânia DinizFernando Aguiar, Inez Alves e Márcia Araújo
clicks da Iara Abreu






Já no 6 Belô Poético, na Livraria Status, Savassi,
eu, Tania Diniz, e os poetas Antonio Miranda, de Brasília -DF, e Fernando Aguiar, de Lisboa- Portugal



uma vista parcial da exposição dos ME, no Sesc Laces


outra visão parcial, da exposição Aspectos Urbanos,
o super bacana Rosário Poético, de Iara Abreu


e Lívia Tucci  (de rosa) e eu, Tânia (de roxo), ao fundo, aguardando o início da abertura do 6 Belô, no Sesc Laces