sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Morre Nobel da Paz, Quênia, a Dra. Wangari Maathai, neste 25 de setembro passado!

vejam que bela mulher! em todos os sentidos.

DADOS BIOGRÁFICOS


Wangari Maathai falece , com 71 anos de idade, dia 25,nesta Primavera .Estava no Quênia, um câncer destruiu-lhe a produtiva vida.Em Nairóbi, capital do Quênia, a valente e dinâmica,, a Mensageira da Paz da ONU .Wangari foi a primeira mulher africana que receber o Prêmio Nobel da Paz."Em sua primeira visita à ONU depois de receber o Prêmio Nobel da Paz em 2004, Maathai disse que o mundo deve reconhecer que recursos naturais são limitados. Para ela, os recursos naturais deviam ser geridos de forma sustentável e partilhados igualitariamente."


Em 2009, torna-se Mensageira da Paz da ONU .que reconhecera seu “compromisso inabalável” com os direitos humanos e com a democracia.


Em 2011, a FAO, organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação nomeou´-a Embaixadora da Boa Vontade para os Ecossistemas Florestais.


Ela estudou também nos Estados Unidos .Sempre reconhecida pela palavra forte e ações verazes, incisivas, foi muito reconhecida pelo trabalho contínuo.Universidades outorgaram-lhe o título de Doutora “honoris causa”.
Sempre pioneira, na África Oriental e Central foi a primeira mulher a obter um grau de Doutora (Universidade de Nairóbi, em 1971).
Entre as muitas premiações e reconhecimentos, a bela e empática Wangari mereceu a Légion d’Honneur da França em 2006 e o Prêmio Nelson Mandela para a Saúde e Direitos Humanos em 2007.

Amiga das árvores, "Nas homenagens póstumas, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) enalteceu Maathai por ter sido a fundadora do Movimento Cinturão Verde, em 1977, que resultou no plantio de 30 milhões de árvores em África".

Canto para Wangari Maathai


                por Clevane Pessoa
Asas de luz nívea e forte crescem
do corpo-casulo de WANGARI MAATHAI.


Mensageira da PAZ pela ONU,
viajante da harmonia
e amante do planeta,
que deixa-mas fica e ficará...


Os microtambores das florestas
as patinhas dos inseto
sobre a casca das árvores
as folhas feito trompas
a deixar fluir os sons da Áfricaunem-se às mãos que cadenciam
um cântico uníssono de homenagem.


As árvores choram por ti.
O cinturão verde que defendeste
bordará tua camisola de passagem
com milhares de folhas verdes.

Embaixadora da Boa Vontade
para os Ecossistemas Florestais
pela FAO, tem agora todas as vozes
da Mãe África rememorando
sua vida guerreira por uma Paz

que pede ações aguerridas,
calma/mente, corajosa/mente...


É Primavera por aqui,
quando ela se vai.
Todas as lembranças florescem.
Todas as belezas coadunam-se
na sonoridade de seu nome.
Mando-lhe todos os deliciosos
aromas de uma natureza que amava!


A primeiríssima africana
a receber um NOBEL DA PAZ!


Sete décadas e um ano florescem
pela Doutora Honoris causa,
tão reconhecida por tantas Universidades.
Monções tamborilam seu nome, suas homenagens:
Légion d’Honneur na França em 2006,
Prêmio Nelson Mandela para a Saúde e Direitos Humanos em 2007
Wangari Maathai, Wangari Maathai,
Wangari Maathai
- a que foi, mas não se vai
sempre agarrada aos caules,
trepadeira perfumada,
a fertilizar os verdes



Clevane Pessoa
Membro da IWA, do PEN Clube de Itapira,
Acadêmica da AFEMIL_Cadeira Cecília Meireles e ALB, cadeira Láis Corrêa de Araújo
Acadêmica Correspondente da ADL, ALTO, ALI, Academia Menotti del Picchia e outras
Representante do Movimento Cultural aBrace(Brasil/Uruguai;da ALPAS XXI;da REBRA em MG;
Conselheira da Rede Catitu Cultural, Patronesse da AVSP;Membro Honorário de Mulheres Emergentes. 


NOSSA HOMENAGEM!

E também, o abraço de parabéns a todas Secretárias, pelo seu dia, hoje!

Tânia

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Boa tarde, pessoal!

Recebi da amiga Maria Luiza Falcão, e adorei.
Mostro a vocês:
"Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja conosco".

 LENDA DOS ÍNDIOS CHEROKEES.

 *Voce conhece a lenda da passagem para a juventude dos índios Cherokees?*

 O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
 O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.
 Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
 Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
 Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado.
 Ele pode ouvir toda espécie de barulho. Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir picá-lo.
Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta
estoicamente, nunca removendo a venda.
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.
Finalmente...
 Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo. 

 Nós também nunca estamos sozinhos!
 Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'.
Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.

*Moral da história:*

 *Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja conosco.*
 *Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.*

achei muito verdadeiro!!!
bjins,
tânia

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

olá, amigos!

estou feliz em estar conseguindo vir aqui mais amiúde.
Deixo mais um poeminha meu:


alamanda florida
pequenos sóis iluminam
o vibrante jardim.
                               td


e meus parabéns e todo o meu amor, para minha filha Ana Carol, que hoje completa mais uma feliz primavera.  Saúde e felicidades sempre, filhinha.Beijo,
mamãe


até mais, pessoal,
tânia

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

a Primavera chegou por aqui hoje, 06:04 da manhã...

e continuou numa bela manhã ...e dá vontade de poetar

Borboletear
de flor em flor. Partilhar
o amor
                   t.diniz


e

lábios beija-flor nos meus
trigo, pêlos sobre mim
mãos:libélulas azuis
        tânia diniz



Gente, olha aí, o poeta Todd Irwing Marshall e eu, Tânia, domingo, 18, no Parque...

e vocês repararam no meu cabelo novo???? rsrsrs

bjocas,
tânia

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pois é...setembro chegou e a primavera já desponta...

Convite legal:


Querida Tania,
Tudo bem?
Em anexo nosso especial convite!
Aguardamos sua confirmação!
Grande abraço e até breve,
Regina Mello


BH, 03 de setembro de 2011
Querida amiga,
O Museu Nacional da Poesia juntamente com o poeta Todd Irwin Marshall tem 
a honra de convidá-la para a manhã de lançamento do seu livro de poesias 
“canções urbanas vi tais”. O livro muito bem cuidado é o segundo volume da 
Coleção Museu Nacional da Poesia, em edição bilíngue pela editora Anome 
Livros com prefácio de Wallace Armani. O lançamento que acontecerá dentro 
do Sementes de Poesia, dia 18 de setembro de 2011 às 10 horas, faz parte da 
programação da 5ª Semana de Primavera nos Museus que tem neste ano o 
tema: MULHER, MUSEU E MEMÓRIA e marca a abertura da semana.
Em especial queremos convidá-la para realizar a leitura de um poema do 
“canções urbanas vi tais” juntamente com outras mulheres convidadas. 
Pedimos a gentileza de confirmar sua participação até o dia 10/09/2011.
Um grande abraço,
Regina Mello
Evento: SEMENTES DE POESIA
Data: dia 18 de setembro de 2011, domingo (todo terceiro domingo do mês)
Horário: das 10 às 12h 
Local: Praça dos Fundadores – Parque Municipal Américo Renê Giannetti - Av. 
Afonso Pena s/n ou Al. Ezequiel Dias s/n - BH – MG
                                       Entrada franca


Foi ótimo, o s poemas são lindos!
                     

Algumas fotos de outros eventos:
Dea Trancoso, sensível cantora, e eu, Tânia, depois de sua apresentação 
(definitivamente preciso parar de fotografar...como consigo sair tão feia??? ninguém responda, rs)

a super graciosa poeta Mariana Botelho e eu, Tânia Diniz

E abaixo, alguns clicks do lançamento do livro Yeda Prates Bernis - Plenitude Poética,de Valdivino Pereira Ferreira, de Turmalina-MG, em homenagem à sempre querida Yeda
Foi na Biblioteca Pública Luis de Bessa, dia 17 de setembro, com um excelente coquetel.

Valdivino e eu, Tânia

help!!! quem nos desvira aí?

a homenageada amiga Yeda Prates Bernis, entre eu, Tânia, e seu filho Eduardo



o ex-governador de Minas,  Francelino Pereira e eu, Tânia


e mais um convidado também político, Amilcar Martins e eu, Tânia



Até breve, gente.
bjos