segunda-feira, 31 de agosto de 2015


A Saga ME    -        Mulheres Emergentes       -   Parte  4.3

Ano 7    No. 26     Jul.Jun.Ago. 1996     Suplemento Especial     1.000 Exemplares
 
 Uma edição muito especial!!!!

Pela primeira vez, Mulheres Emergentes além da Edição Especial Minas, se aventurou e fez um   
Especial, de um único autor, com trabalhos exclusivamente masculinos, Cilada, do poeta 
Wilmar Silva, 20 poemas integrantes de Verdes sons azuis, que mais tarde se tornaram um livro e peça de teatro...
E o Especial em parceria com o DCE da PUC-Minas !
 



     Portanto, temos agora essa edição mais-que-especial. Espero que curtam, comentem e compartilhem!


               Tânia é resistência. Paciência. Um mundo de harmonia e amplitude. 
Somatório de tudo o que a literatura nos proporciona. Paz. Abstração. 
Tânia Diniz é plural, não é apenas uma mulher, mas 
MULHERES EMERGENTES.



                                Acompanho o seu trabalho, sei de suas dificuldades. 
                   Sua luta constante dentro de instituições governamentais, órgãos de cultura, 
                                        de caminhos tortuosos. 
                   Há vinte e cinco anos, Tânia desembaraça a burocracia com sua palavra forte,
                                 sua presença firme, com seus olhos afiados de vontade e convicção. 
                                        Tânia dentro de seu mundo criativo e lírico.



             Não digo parabéns pelos vinte e cinco anos do jornal MULHERES EMERGENTES.
                      Digo, apenas, obrigado, Tânia Diniz, obrigado pela sua loucura saudável de 
                       querer mostrar poesia para toda nossa gente, obrigado pela sua existência, 
                                                    por tornar melhor este nosso planeta.



                                                           Flávio César de Freitas

                                                           escritor, poeta  - Belo Horizonte - MG  

Editorial - Tânia Diniz - BH - MG
Ilustração - Lúcia Daniel - mineira de BH radicada em Paris - França 

Participação -  Angela Leite de Souza - BH- MG
Madrigais - Rogério Salgado - Campos -RJ radicado em BH
III - IV - VI - Rogério Zola Santiago - BH - MG 
1o. de abril ou Poema maior - Magda Lúcia Rodrigues - Alvinópolis - MG 
Manuseio - Maria Esther Maciel - Patos de Minas - MG
Oásis - Marcos Pedroso - MG 
aDÁGIO - Zélia Rogedo -  BH - MG
I ching ... - Ma. da Graça Rios - Carmo da Mata - MG 
Curva - Ma. Lúcia Mendes -  Itaúna - MG
Fina transparência - Livia Tucci  - Curitiba - PR, radicada em BH
Física - Vera Macedo - Lagoa dos Patos - MG 
Quarto de Maria  - Carlos Drummond de Andrade -   Itabira - MG
Um incêndio amarelo ... - Tânia Diniz - Dores do Indaiá - MG   radicada em BH  
Amar, amares - Lúcia Castelo Branco -  RJ radicada em BH 
Diária - Thaís Guimarães - Fortaleza - CE radicada em BH 
Pas de deux - Laís Corrêa de Araújo - BH - MG 
Apelido - Johnny Guimarães - BH - MG 
Afago - Flávio César Andrade de Freitas  - BH - MG
O homem - France Gripp - Governador Valadares - MG reside em BH 
Certeza / o amor é triste... - Ana Caetano - Dores do Indaiá - MG reside em BH 
A noite / nasce... - Pedro Maciel - Sete Lagoas - MG reside em BH 
Dentre as minhas lembranças ... - Lúcia Afonso - Teófilo Otoni - MG 
Idênticos - Said Oliveira -  - Alcobaça - BA radicado em BH 
Canícula - Adélia Prado - Divinópolis - MG 
O fruto / será... - Romeu Sabará - Pocrane - MG 
Gênese - Sonia Queiroz -  BH - MG
Segredo I - Jovino Machado -  Formiga - MG
Revelação - Branca di Paula - BH - MG 
Expressões de língua  - Maurício Gomes - BH - MG


Editorial

Perseguir sonhos, garimpar e praticar poesia, tem sido a minha sina. Sempre cheia de paixão, os projetos se sucedem em turbilhão pela minha cabeça! 
E haja fôlego e saúde, para cavar os meios de concretizá-los ! Porém, minha (im)paciência taurina é persistente e sustenta a luta.
E aqui estou, novamente, com esta Edição Especial, apenas de mineiros - pequena amostra de talentos do nosso celeiro - dentro do Projeto Regional ME, e mais um Suplemento Especial com Wilmar Silva.
   E os próximos virão! Me aguarde Brasil!
                                                                                    a editora





                                                     Suplemento Especial




Editorial - Tânia Diniz - BH _ MG 
Ilustração - Jussara Rocha - BH- MG 

 Wilmar Silva - Carmo Paranaíba - MG radicado em BH :

Flauta agreste I
Flauta agreste II
Flauta agreste III
Flauta agreste IV
Flauta agreste V
Flauta agreste VI
Flauta agreste  VII
Flauta agreste VIII
Flauta agreste  IX
Flauta agreste X
Flauta agreste XI
Flauta agreste XII
Flauta agreste XIII 
Flauta agreste XIV
Flauta agreste XV
Flauta agreste XVI
Flauta agreste XVII
Flauta agreste XVIII
Flauta agreste XIX

Flauta agreste XX    

Editorial 

Conheci Wilmar Silva quando já havia lançado Lágrimas e Orgasmos (1986). De lá pra cá, tenho acompanhado sua trajetória entre Águas Selvagens (1990), Dissonâncias (1993), Moinho de Flechas (1994) e diversas antologias, entre as quais, "Prêmio - I Concurso  -Internacional de Poesia e Ilustração  ME 92/93 "  . Sua rápida e surpreendente evolução, um aprimoramento de linguagem e fortes imagens líricas e originais, trouxeram-me o desejo de levar mais longe sua poesia e publicar um Suplemento Especial com esta Cilada: vinte poemas integrantes de Verdes sons azuis (1995) junto ao ME 26. Aos leitores, um mergulho neste mar nada wil que silva beleza como uma flauta agreste!
                                                            
                                                                                       a editora 


                               e          Suplemento mais Especial 
 
E como foi mais um número de experimentações, iniciei um novo projeto com o DCE da PUC - MG - Novo Tempo, DCE gestão 96/97 . Com poemas de alunos e funcionários da universidade e alguns convidados, que chamei Suplemento DCE PUC-MG. Projeto que, infelizmente não continuei por problemas dos alunos, etc...mas, que adorei fazer!!!! e amaria ressuscitá-lo, rsrsrs




                               Mulheres Emergentes DCE - PUC 

Ano 7   Suplemento DCE - PUCmg - ME   Agosto 96   Tiragem 4.000 exemplares 

Editorial - Tânia Diniz 
poema-ilustração -  N.N. Argañaraz  - Uruguay   


Quarto de Maria - Carlos Drummond de Andrade - Itabira - MG 
Ofício - Giovani Rodrigues Pinto 
É fascinante - Rêmulo Cézar Miranda - 8o. período Eng. eletrônica
Woman - poema visual - N.N. Argañaraz  - Uruguay 
Eu só queria te dizer que eu tenho que fazer disso uma arte...- Adalberto Arcelo- 8o. período Direito
Curva - Maria Lúcia Mendes - Itaúna - MG 
Na flor da pele... -  Caco de Oliveira - PR 
I ching...- Maria da Graça Rios - BH - MG 
Física - Vera Macedo - BH- MG 
Promessa de amor... - Tânia Diniz - BH- MG 
Depoimento póstumo da Afogada - Magali Simone de Oliveria - jornalismo 
Certeza... - Ana Caetano - BH - MG 
Teu corpo ... Alice D. Trusz - Porto Alegre - RS
Mar - Ricardo N. Figueiredo Filho - 3o. período História   


Editorial 

Mulheres Emergentes é uma publicação trimestral, de circulação nacional e internacional, feita pela escritora Tânia Diniz desde 1989, trazendo autores novos ao lado dos já conhecidos.
Iniciando um novo projeto, lança agora este Suplemento DCE-PUCmg - ME que visa despertar e divulgar talentos artísticos cabíveis da comunidade PUC , estimulando a produção poética e levando este Suplemento por todas as unidades da universidade, às bibliotecas, aos escritores, jornalistas, feiras de cultura, exposições, etc, em Minas e fora dela, trilhando os mesmos caminhos da publicação original.
Assim, o DCE - Cultura e a editora , convocam o artista que existe em você - aluno, professor, funcionário! - para que entregue urgente seus poemas , textos curtos, HQ, desenhos, etc, com seu nome, telefone, curso e período, no DCE, ou envie para a redação, para possível publicação e para que possamos dar continuidade mensal a este pioneiro projeto.
                                                                          a editora 
 

sábado, 29 de agosto de 2015

A Saga  ME   -   Mulheres  Emergentes   -     Parte  4. 1  

Ano 7         No. 25   Mar.Abr. Mai 1996             Tiragem 1.000 exemplares  




O tabloide de poesia Mulheres Emergentes , inventado e dirigido   pela poetisa mineira
 TANIA DINIZ, completa 25 anos . Um trabalho significativo, registrando a ciranda de tantas vozes femininas por toda a imensa geografia do  nosso país e de outros. Uma publicação que vem reunindo boa poesia, e que documenta a palavra  e o sentimento das mulheres  ao longo de um  quarto de século.  Vida longa ao ME e á sua criadora, Tania Diniz, poetisa de voz única e bela.
           Abraços da

Maria de Lourdes Hortas
escritora luso-brasileira,  poetisa, diretora cultural do Gabinete Português de Leitura de Pernambuco, onde também  coordena a revista Encontro.     -    Recife- PE



 Mulheres Emergentes, nasceu da vontade, atitude & luta da mulher, poeta & ativista cultural Tânia Diniz, ainda no entardecer do século XX.
Conseguiu reunir olhares diversos, tanto de poetas, como da poesia produzida no Brasil & em outras partes do planeta.
 Agora, seguindo sua Saga de congregar  os inventores da linguagem , CELEBRA 25 anos como o Mural + democrático da poesia planetária .
Parabéns & poesia na veia !

Beijos Azuis

Aroldo Pereira  
poeta, ativista cultural, criador do Psiu Poético, há 30 anos, em Montes Claros -MG


Editorial - Tânia Diniz - BH- MG
Poema/ ilustração - Sebastião Nunes - Sabará - MG


Feminina -  Thaís Guimarães - BH- MG
Veracidade - Eliane Fonseca - SP -SP
A reta que teu corpo aponta... Rosa Amanda Strausz
Achados & perdidos - Wilson Bueno - Curitiba - PR
Águas... - Sebastião Nunes - Sabará - MG
Amo esse reino dos sonhos... - Alice Ruiz - Curitiba - PR
Vestígio -  Silvia Oliveira - Piracicaba - SP
Ausência - Maria Santos Costa - Brasília - DF
Seios cujas pontas são frutos... - Paul Verlaine (1844-1896) França
Armadilhas - Maria Esther Maciel - BH - MG
Pingos nos ii - conto - Tânia Diniz - BH - MG
Diferença erógena - Newton de Lucca - SP SP
Guardei-me para ti como um segredo... - Lya Luft - Porto Alegre - RS
Equivalência - Cheila Stumpf  - Sta Cruz do Sul - RS 
Eu queria morder-te pouco a pouco... - Santiago Presado 
Cangaço - Maria Lúcia Mendes - Itaúna - MG 
Amado - Solange Rebuzzi - Rio de Janeiro - RJ 
Quero ser flor... - Magda Lugon - Vitória - ES 
Sobre meu corpo /não quero... - Sérgio Fantini - BH - MG 



Editorial

 Feminina  bem amada   desamada   lutadora   sonhadora   noiva  mãe  esposa   amante  filha   irmã   negra   vermelha  amarela  ou  branca, da lavadeira à médica, da guerrilheira à poeta, comparecendo sempre ao chamado da Vida, nós mulheres vivemos mais um Dia 8 de Março!
  à nous...   tim-tim!

                                                                a editora


  A Saga  ME  -  Mulheres Emergentes  -   Parte  4.0

Ano  7     No.   24    Dez.Jan.Fev.  1996             Tiragem 1.000 exemplares 




                 Mulheres Emergentes tem a mulher em seu estado de natureza. 
                          Portanto, Mulheres Emergentes tem a não origem de Luzia e 
                                    suas águas através de uma mulher,  outra mulher, 
                                              as mulheres, outras mulheres. 
                                         Portanto, talvez o homem em sua cratera.    
                               E também a criança que habita o coração que pensa 
                                                           e a cabeça que sente.            
               Mulheres Emergentes é Abaporu e sua estranhez porque 
                   escavar a mãe é o  mesmo que escavar o animal olhar que está vivo
                                                             e escreve ao sol.
                                     Mulheres Emergentes é a gênese do eco. 
                       Mulheres Emergentes é a origem do mundo, 
                                                       o amor de perdição. 
                      Mas Mulheres Emergentes é o Brasil e suas 
                                                  Minas Gerais no cosmos: 
                  o diabo na rua, no meio do redemoinho... O medo sendo iluminações. 
                          Et cetera. Mulheres Emergentes é ela, Tânia Diniz. E os nós.



                                         Wilmar Silva de Andrade,  BH- MG

                  autor de "Säröjä purppuranpunaisessa järvessä" (Aviador Kustannus, 2015, Finlândia)
 



No final da década de 90 tive o primeiro contato com o jornal
  mulheres emergentes e fiquei encantada – não conhecia no brasil 
   nada parecido, uma publicação que abrisse tanto espaço para a escrita feminina.   
Sua mentora e realizadora é a ótima poeta tânia diniz, a quem admiro
 e sinto orgulho em me considerar sua amiga. 
   Neste momento em que “mulheres emergentes” completa 25 anos, 
 cumprimento e agradeço 
a tânia diniz, que nem nos momentos mais difíceis desistiu do que é para nós, 
poetas e escritoras, motivo de orgulho. 

líria porto - poeta



Editorial - Tânia Diniz 
Ilustração - Jussara Rocha - artista plástica - BH - MG
Teu corpo / textura... - Alice D. Trusz - Porto Alegre - RS 

Quo vadis? - Simão Pessoa - Manaus - AM 

Caco - Eduardo Moretzohn 

Possessão - Ednólia Fontenele - Estância - SE 

Corpo - Hugo  Pontes - Poços de Caldas - MG 

Nosso amor é um mistério... - Leila Míccolis - RJ - RJ 

Queria inda te ver... - Cyana Leahy - Niterói - RJ 

Passional - Jussara Santos -BH _ MG 

1. Fragmentos - Sandra Costa - Rio de Janeiro - RJ 

Visita - Tânia Diniz - BH _ MG 

Dream - Cláudio Daniel - SP - SP 


Quietude - Idalina de Carvalho - Cataguazes - M

Na flor-da-pele ... Caco de Oliveira 

Uma permanência de pedra... - Pablo Neruda (1904-1973) - Parral - Chile 

Verso 9 -  Wilmar Silva -  BH - MG 

Rédeas -  Jurema Barreto - Santo André - SP 

No meu lado noturno... - Diva Cunha - Natal - RN


XIII - o meu medo! ... - Jaime Benassuly - Macaé - RJ 

Não é o cheiro do corpo,... - Marlene dos Santos
  

Editorial

E no sétimo dia Ele descansou.
São sete os dias da semana, os pecados capitais, os chackras, as cores do arco-íris, as notas musicais, os planetas,as hierarquias dos anjos, as esferas celestes, as cordas da lira, as cabeças da naja de Angkor, as pétalas da rosa que significamos sete céus, os galhos da árvore cósmica, as estrelas da Ursa Maior
 (seriam os sete olhos de Deus?).
As cerimônias do culto a Apolo e as festas populares chinesas, acontecem no sétimo dia. Símbolo egípcio da vida eterna, mágico, o número sete tem poder nele mesmo, indica mudança  após um ciclo completado de uma renovação positiva.
Sete anos de Mulheres Emergentes!!!
Já se ouvem as sete trombetas? Ou avistam-se os sete degraus da perfeição?
Nosso ciclo se completa com este ME de aniversário de você, leitor..
                                                                                       a editora