sábado, 24 de março de 2018

24 Março  2018  Sábado  

Uma alegria luminosa me dominou com a surpresa !

Acessem o site, link abaixo, e conheçam a delícia que é o presente de minha amiga Chris Herrmann:
23.3.18

Um pouco da constelação poética de Tânia Diniz, hoje na Mallarmargens

23

Cinco poemas de Tânia Diniz


A poesia de Tânia Diniz



Constelações



Noite – 
a curvatura do dorso 
o singelo pescoço... 
na placidez, o boi rumina rubis 
e baba, leitosos, quartzos róseos, 
onde cintila aldebarã. 
De manhã _ 
presepeiro, pesado, ás vezes ligeiro, 
boi de canga, boi de farra, 
bumbo meu boi.
E touro bravo, de sangrenta arena, 
me volto manso,
sem qualquer pena.
No laço fácil do teu abraço, 
vaca leiteira, lambe-lambê-las, 
rumino estrelas.



*




Reinos



Ter
formas de maçã
A surpresa
de textura e cor
da romã
Do caju,
sumarenta carnadura
Da goiaba de vez,
o frescor
Então,
apetitosa e nua
a fome acesa
em tua mesa,
ver, talvez, 
o emergente calor 
da tua carne dura.


*



Luas



Na lua nova 
de recurvo brilho
a paixão renovas 
No meu céu 
de cio crescente 
a chama alteia 
E serpente e sereia 
me encontro vindo: 
lua cheia 
E quando, bacante, 
mesmo minguante,
me prendes a cintura 
na quadratura de cada mês, 
a cada vez, 
desvendas com arte 
a sanguínea face 
de minha lua escarlate.


*



Borboleta



Um beijo
pelo corpo inteiro 
ligeiro
deixou
uma borboleta roxa
mordida 
na 
coxa



*



Penélope 



Espero.
Tal Penélope
teço a teia
de suspiro e saudade
em ponto meia.
Às noites de lua
entremeio
fios de paixão
brilhos de prazer
bordados em canção
eu, toda nua,
vestindo tua mão.
Pronto o manto
envolvo de encanto
loucos sonhos na cama,
a trama de quem ama.
Tal Penélope
na noite sem lua
sem teus passos na rua
desmancho, desfaço,
meus pontos, teu laço.
A solidão, não meço.
Amanhã, recomeço.







Tânia Diniz é poeta, contista, haicaísta, editora, promotora cultural e professora de idiomas. Oferece palestras e oficinas. É editora-idealizadora do mural poético Mulheres Emergentes desde 1989, com publicação de circulação internacional que enfatiza o feminino. Já realizou 7 Concursos Internacionais de Poesia com excelente acolhida do público. Livros de contos: O Mágico de Nós (1988/ 2ª ed., 1989), Rituais (1997). Poemas: Mulher EmBalada (1992), Bashô em Nós (co-autoria/ 1996), Relato de Viagem à Marmelada,haicais (1997), Flor do Quiabo,haicais, (2001), entre outros. Em 1998 é secretária, tradutora e intérprete na I Bienal Internacional de Poesia de BH, a convite da Secretaria de Cultura de MG. Em 2008 organiza, com sucesso, a mostra itinerante I Mostra Mineira de Haicai Mulheres Emergentes, pelo centenário da imigração japonesa no Brasil, na Galeria e pilastras da Rodoviária - centro de BH. A exposição circulou por inúmeros espaços culturais de BH e interior. Tem trabalhos publicados em diversas antologias, revistas e jornais nacionais, e sites; alguns estrangeiros. Diversos trabalhos premiados em concursos literários no país e exterior.

2 comentários:

Clevane Araujo disse...

Poemas encantadores.É belo ver (...)"quando uma poetisa reconhece outra./Dessa forma, / a enfiada de um colar infinito /tem início"(...) , como digo num poema.Abraços, Cris Herrmann e Tania diniz Diniz.Aplausos a ambas.Clevane Pessoa

Clevane Araujo disse...

Corrigindo o corretor automático:
Poemas encantadores.É belo ver (...)"quando uma poetisa reconhece outra./Dessa forma, / a enfiada de um colar infinito /tem início"(...) , como digo num poema.Abraços, Chris Herrmann e Tania Diniz Diniz.Aplausos a ambas.Clevane Pessoa